Estar preparado para o mercado de trabalho é uma tarefa que deve ser colocada como prioridade para todo profissional que deseja impulsionar sua carreira. Por muito tempo, qualquer pessoa com MBA ou pós-graduação era um excelente candidato a um cargo.
É claro que a formação acadêmica, assim como os cursos de especialização e pós graduação, além de todas as habilidades técnicas necessárias para executar uma função (hard skills), continuam sendo muito importantes para o profissional. Mas as empresas, principalmente de grande porte, contratam hoje muito mais baseadas nas soft skills do que nas hard skills, como afirma André Luis Silva, professor da Universidade Federal de Ouro Preto, no livro Empreendedorismo Universitário.

O que são soft skills
Soft skills são habilidades comportamentais que nos levam a ter mais produtividade e a criar relacionamentos profissionais mais saudáveis. Também conhecido como human skill, pela Martha Gabriel, PHD, palestrante e autora de best-seller, ou até mesmo portable skill, por Sabina Augras e Laura Fuks, colunistas da Revista HSM Management, soft skill é um termo geral para habilidades que se baseiam em três principais elementos funcionais:

● Intrapessoais: habilidades da pessoa;
● Interpessoais: habilidades sociais;
● e atributos pessoais de carreira.

Com o avanço da globalização e das inovações tecnológicas, ainda mais em tempos pandêmicos, as soft skills passaram a ganhar maior destaque. Em ambientes cada vez mais competitivos, as hard skills passam a ser um requisito essencial. Enquanto isso, as soft skills começam a ser consideradas como um diferencial estratégico, já que estão intimamente ligadas com a inteligência emocional.

De acordo com Peggy Klaus, autora do livro The Hard Truth About Soft Skills (“A dura verdade sobre as soft skills”, em tradução livre), a maioria dos profissionais aprende, de maneira mais árdua, que precisa melhorar suas soft skills. Geralmente, esses profissionais não conseguem avançar em suas carreiras para alcançar seus objetivos e são nesses momentos de bloqueio que percebem a falta dessas habilidades.

“As soft skills estão relacionadas à forma como interagimos com outras pessoas e com o mundo tão diverso e cheio de possibilidades, e isso hoje é o ponto forte para uma contratação, para inovar nos negócios, para crescer profissionalmente com produtividade, equilíbrio e propósito”, diz a consultora de negócios e fundadora da Caixa Amarela, Emanuela Albuquerque.

Saiba quais são as soft skills mais exigidas pelo mercado
Peter Schutz, empreendedor e palestrante alemão, que presidiu a Porsche entre 1981 e 1985, disse no século passado que deveríamos “contratar caráter e treinar habilidades”. A máxima reflete nessa revolução silenciosa que vemos acontecer no departamento pessoal ao longo dos últimos anos, em que as soft skills têm sido levadas muito em conta nas entrevistas de emprego.

As soft skills ajudam você a identificar oportunidades, planejar e criar novas maneiras de resolver problemas e de criar valores, guiar seus próprios passos e negócios, responder positivamente às mudanças e às oportunidades da vida de forma consciente, responsável, sustentável e dinâmica. Conheça abaixo algumas das soft skills mais desejadas pelas empresas.

Autoconsciência
Pessoas que desenvolvem a autoconsciência são comprometidas e não desistem fácil dos seus objetivos. Entendem a si mesmos e aos outros, são realistas e apresentam alto senso de humor, inclusive quando falham. Conhecem suas habilidades e fraquezas, e sabem como explorar o máximo de cada membro da sua equipe.

Autocontrole
As pessoas que desenvolvem essa habilidade controlam seus impulsos e pensam antes de agir. Consideram as razões para falhas e dividem as dificuldades e soluções com todos da equipe. Criando assim uma atmosfera de respeito e confiança entre os demais colaboradores da empresa, evitando conflitos e disputas políticas desnecessárias.

Empatia
Saber entender as outras pessoas e trabalhar em grupo é fundamental para ter o respeito de todos. Os profissionais que desenvolvem a empatia consideram as opiniões dos seus colegas de equipe para tomar decisões e são fontes confiáveis na organização.

Comunicação eficaz
Comunicar-se de forma eficaz inclui a transmissão e a interpretação das ideias de forma que se consiga passar para outra pessoa exatamente o que se está querendo dizer. Quando isso ocorre, a pessoa se torna capaz de falar para os mais diversos públicos e, possivelmente, alcançar os objetivos que buscava com a comunicação. A maioria das profissões exige algum tipo de interação entre as pessoas, seja algo limitado ao próprio ambiente de trabalho ou uma interação externa com clientes, por exemplo.

Criatividade
Apesar dessa habilidade ser mais ou menos exigida dependendo da área ou cargo, em um mercado tão competitivo quanto o atual, quem demonstrar mais facilidade na elaboração de soluções de forma rápida e inovadora terá a preferência das empresas. No mundo dos negócios, por exemplo, um funcionário com um pensamento criativo conseguirá trazer alternativas singulares para uma crise. A criatividade pode ser construída por meio de conhecimentos teóricos sobre determinado assunto, resiliência e até as próprias experiências práticas profissionais.

Resiliência
É a capacidade de recuperar-se depois de enfrentar adversidades. Mais do que força, é algo que exige certa maturidade psicológica. Esta talvez seja a soft skill mais importante para os momentos de crise vivenciados atualmente pelas empresas. A pessoa com essa característica consegue lidar com problemas, se adaptar a mudanças e resistir a pressões. Além disso, por possibilitar os aprendizados nos momentos de dificuldade, a resiliência acaba sendo a base para o desenvolvimento de outras soft skills.

Desenvolvendo as soft skills
Apesar de cada empresa priorizar certas habilidades em detrimento de outras, dependendo da cultura da organização, a principal característica das soft skills é exatamente o fato de serem valorizadas em todo ambiente de trabalho, pois representam particularidades da personalidade do indivíduo.

Como as soft skills são habilidades comportamentais, desenvolvê-las é um processo muito individual e demanda uma autoreflexão sobre si mesmo e suas próprias atitudes, em um processo de autoconhecimento e melhoria contínua.

É exatamente no dia a dia do trabalho que colocamos as soft skills em ação. Submetendo-nos a situações que demandem essas capacidades, nos inserindo em ocasiões que precisem de trabalho em equipe ou nos colocando em discussões com pessoas cujos pontos de vista sejam divergentes do nosso. Você vai se estimulando a trabalhar melhor em equipe e a ser flexível em relação a opiniões muito diferentes da sua.

Para desenvolver as suas soft skills, faça uma autoanálise para determinar quais são as suas habilidades natas (aquelas aptidões que você já desenvolveu e/ou possui naturalmente) para usá-las a seu favor e quais são as que necessitam aprimoramento. Aproveite e leia este artigo da HSM University e aprenda como desenvolver as soft skills de um verdadeiro líder.

Empresas têm papel fundamental no desenvolvimento das soft skills de seus colaboradores
Embora as soft skills não sejam facilmente mensuráveis em um primeiro momento, ter colaboradores que apresentem esses domínios permitem que o cotidiano em qualquer corporação seja mais fluido, descontraído e, consequentemente, mais rentável, já que pessoas motivadas se engajam juntas num senso único de propósito alinhado às expectativas da empresa.

“Dentro de empresas e organizações em que atuo como consultora, o ponto chave para desenvolver as soft skills é o mapeamento das habilidades e potencialidades de cada colaborador. Estimulando o que há de melhor nele, dando feedbacks de seus pontos fortes, evidenciando-os e aprimorando seu autoconhecimento”, diz Emanuela Albuquerque.

Fazer um exercício de feedback com os colaboradores, incentivar o bom relacionamento interpessoal e fomentar o senso de colaboração na equipe são algumas das formas que as empresas podem usar para estimular o desenvolvimento das soft skills. Enquanto não for feito o exercício de olhar para dentro de si, as soft skills correrão o risco de ficar encobertas pelas rotinas. Consequentemente, as entregas serão realizadas, mas sem a excelência e a performance que só as habilidades comportamentais podem proporcionar.

A equipe de uma empresa é um reflexo das qualidades dessa organização. Portanto, ao cultivar as competências dos colaboradores, a empresa também cultiva a imagem que é formada sobre o próprio negócio.

O diferencial de um profissional com soft skills desenvolvidas
Saber trabalhar sob pressão, manter a calma diante de situações difíceis e tomar decisões seguras e ágeis são características que todo profissional precisa, independentemente da posição que ocupa na carreira ou da área em que trabalha. Isso só é possível com as soft skills desenvolvidas.

Ao mesmo tempo, em um trabalho em equipe, é importante entender que o profissional lidará com pessoas de perfis diferentes, backgrounds diversos, além de modos e processos de trabalho distintos. Usar a inteligência emocional, associada às demais soft skills, pode ajudar a mitigar problemas e encontrar soluções para melhores resultados na empresa.

Essas habilidades comportamentais são capazes de tornar um profissional mais focado, assertivo e motivado – ou seja, o profissional dos sonhos para qualquer organização, destacando-o no mercado de trabalho.

Por Letícia Frasão, da Revista HSM Management, melhor publicação sobre gestão do Brasil.

Quero indicar um amigo