Em tempos de distanciamento social, muitas empresas têm enfrentado um grande desafio: a gestão de equipes virtuais. Com cada colaborador em sua própria casa, fica o questionamento de como oferecer suporte a eles, organizar as atividades que vão desempenhar e assim por diante.

Se essa tem sido a sua preocupação, saiba que seu negócio não está sozinho. De acordo com pesquisa do Capterra em parceria com a Gartner, 77% das pequenas e médias empresas do Brasil aderiram ao home office.

Problemas de comunicação, relacionamento e produtividade estão no topo da lista de preocupações dos líderes. Mas saiba que podem ser contornados com uma boa gestão de equipes virtuais. Confira neste artigo!

1. Ter bons profissionais contratados

O home office é uma nova realidade que requer boa disciplina e capacidade de adaptação rápida dos profissionais. Aqueles que são eficientes e comprometidos com os bons resultados da empresa o fazem com tranquilidade, pois entendem a importância de suas ações para toda a equipe.

Este, inclusive, é o tipo de profissional que você precisa ter em seu negócio. Afinal, a competência chamada no mercado de ownership, ou sentimento de dono, se mostra essencial nesse cenário. A autogestão também é muito bem-vinda.

2. Fazer a documentação de informações

Neste momento, as videoconferências serão frequentes para alinhar expectativas e compartilhar o andamento dos projetos. Essa nova forma de conduzir reuniões de resultado exige de você uma organização além da comum para que nenhuma informação se perca.

E-mails de follow up, por exemplo, são excelentes para reforçar os pontos principais das reuniões e as decisões tomadas em prol da equipe. Defina as atribuições de cada colaborador, a fim de que não haja dúvidas ou desmotivação com ociosidade.

3. Oferecer alta carga de motivação

Uma gestão incisiva demais e agressiva pode acabar com a motivação dos funcionários — que, em vez de aprenderem com o retorno, sente-se acuados com o formato do feedback. O ideal nesse caso é possibilitar bons relacionamentos entre a equipe para que eles se engajem nos projetos e vistam a camisa da empresa, mesmo digitalmente.

Coloque-se à disposição para qualquer dúvida, sugestão ou mesmo para uma conversa franca. O período de pandemia mexeu muito com a rotina das pessoas em diferentes aspectos de suas vidas. Pode ser que um conselho seu enquanto líder já seja de grande valia para recuperar a motivação do colaborador.

4. Repensar a metodologia de gestão

Quando não há aquela rotina em que todos os colaboradores estão em um mesmo ambiente, muitos gestores tendem a se entregar ao microgerenciamento. Nesses casos, monitoram de perto cada passo dos liderados, desde o tempo que passam longe da tela até a forma como se motivam.

Essa prática, na verdade, é contraprodutiva para os funcionários, que sentem sua autonomia esgotada. De fato, a produtividade é essencial para manter uma rotina de trabalho e bons resultados. Contudo, há formas mais efetivas de fazê-lo, a exemplo das demais dicas deste artigo.

Em vez disso, opte por outros exemplos de metodologia de gestão, como o Ciclo PDCA. São diversos os benefícios dessa prática, mas o principal aqui é potencializar a produtividade dos colaboradores. O importante é que sejam metrificados pela qualidade de suas entregas.

A gestão de equipes virtuais, então, viu-se muito beneficiada pela transformação digital. Dessa forma, o líder pode exercer suas funções estratégicas à medida que motiva seus colaboradores, em vez de se ocupar exclusivamente com uma observação minuciosa de suas ações.

Gostou das informações e quer receber em primeira mão as novidades do blog? Então, assine a newsletter agora mesmo!

Quero indicar um amigo