Desenvolver a inteligência emocional no trabalho é fundamental. Ela ajuda a manter o foco, aumenta sua produtividade, evita que o estresse prejudique sua saúde e melhora o relacionamento entre você e sua equipe.

Esse conceito é mais simples do que parece. Inteligência emocional é a capacidade que temos de compreender e lidar com as emoções e sentimentos, sejam nossos ou de outras pessoas do nosso meio social.

A seguir falaremos sobre como desenvolver a inteligência emocional no trabalho. Confira!

Conheça suas próprias emoções

O primeiro passo para caminhar em direção à inteligência emocional é o autoconhecimento. Você precisa se conhecer, entender suas emoções e saber qual é o impacto que elas têm no seu dia a dia e no trabalho que é feito.

Então, comece a se estudar. Quando ficar com raiva, por exemplo, entenda o que causou isso. Mas não avalie apenas no acontecimento que precedeu sua emoção, veja quais foram os seus pensamentos até chegar nesse estado.

Faça isso com todos os seus sentimentos. Depois de adquirir alguma prática, você provavelmente será capaz de identificar seus estados emocionais com mais facilidade, às vezes até mesmo antes de eles aparecerem.

Desenvolva a empatia

Quando falamos de inteligência emocional, estamos falando também da capacidade de gerenciar as próprias emoções e lidar com as dos seus companheiros de equipe. Para conseguir fazer isso, você precisa desenvolver a empatia.

Essa palavra bonita, e muito usada no meio organizacional, nem sempre é bem entendida. Empatia significa ter a capacidade de se colocar no lugar da outra pessoa, sentir o que ela está sentindo e entender os acontecimentos pelo ponto de vista dela.

Ao trabalhar essa habilidade no ambiente organizacional você conseguirá lidar com conflitos com mais precisão. Isso melhora o processo de gestão de pessoas e reduz as insatisfações dos colaboradores.

Lide com a pressão do dia a dia

Não importa o quão bom você seja no seu trabalho, a pressão pode — e vai — estar presente no seu dia a dia. Ela faz parte da rotina organizacional, principalmente em períodos importantes de grande produção, de perdas ou de mudanças nos processos internos.

Só que a pressão não precisa ser algo ruim. Tudo depende do ponto de vista. Enquanto algumas pessoas reclamam do excesso de cobrança, da falta de tempo ou da própria incapacidade de fazer as coisas, outras ficam felizes com os novos desafios, com as oportunidades de aprendizado e com a possibilidade de se destacarem.

Então, busque pelas coisas que dão gosto ao seu trabalho. Encontre os pontos positivos das experiências, baseie-se neles e enfrente a pressão diária com um sorriso no rosto e animação, mesmo que seja difícil.

Como você pode ver, desenvolver a inteligência emocional no trabalho não é uma tarefa muito simples. É preciso se policiar e buscar o aprimoramento constante. Entretanto, ao atingi-la, a sua vida profissional só tende a melhorar, permitindo que você se posicione como uma referência de liderança.

Gostou deste conteúdo? Acredita que a inteligência emocional precisa ser mais usada dentro das empresas? Então, compartilhe o texto em suas redes sociais e nos ajude a espalhar essas informações!