Uma liderança empresarial não deve ter somente a habilidade de delegar tarefas. O chamado líder do futuro precisa de algumas soft skills, que são competências de natureza emocional e social. Elas fazem parte, obrigatoriamente, de qualquer perfil de líder e são essenciais para o bom andamento dos negócios, tais como visão sistêmica, conhecimento multidisciplinar, pensamento resolutivo e proatividade.

As capacidades de comunicação e de controle emocional também são fundamentais para uma boa gestão em negócios e das equipes. Além disso, a pandemia do novo coronavírus pegou muitas empresas de surpresa, exigindo a necessidade de antecipação e de adaptação por parte dos gestores.

Pensando nisso, elaboramos este artigo com algumas das principais características do líder do futuro nas organizações. Continue a leitura e saiba quais são elas!

Vocação social

Ter habilidades sociais é uma das marcas mais procuradas entre os líderes do futuro. Isso porque a capacidade de um bom relacionamento interpessoal está entre as soft skills dos profissionais que estão à frente de equipes — sendo extremamente valorizada no mercado.

Saber ouvir os subordinados é fundamental para quem é um bom especialista em gestão de pessoas. Além disso, as habilidades sociais reforçam a cultura do feedback, visto que os canais de comunicação devem permanecer abertos entre todos.

A forma de comunicação do líder do futuro deve ser gentil, eficiente e imparcial. Por outro lado, os líderes sem habilidades sociais, que não conseguem se comunicar, são considerados arrogantes pelos seus subordinados.

Inteligência emocional

A inteligência emocional é a capacidade de reconhecer e lidar com os seus sentimentos e os da sua equipe. Um chefe com essa habilidade consegue manter o equilíbrio diante das adversidades do dia a dia, assim como estão sempre abertos ao diálogo para receber críticas, sugestões e reclamações. Também apresentam esperteza para resolver problemas e conflitos.

Manter o controle das emoções sob fortes pressões é essencial ainda para preservar a produtividade e estimular equipes diante dos maiores desafios empresariais. Afinal, a postura desequilibrada do líder influencia de maneira negativa os colaboradores, o que reflete nos lucros da empresa.

Antecipação do cenário

Uma das capacidades do líder do futuro é a da antecipação. Isso não quer dizer que a liderança adivinhe o futuro. O que as lideranças mais preparadas têm é a capacidade de analisar as situações presentes e enxergar o que vem à frente.

Isso significa que os líderes estão atentos a tudo e têm alta capacidade de análise, além de visão estratégica. Eles têm plena consciência das metas da organização e sabem o que é mais importante para os projetos do negócio. Durante a pandemia, por exemplo, essa capacidade foi de grande valia para que as empresas pudessem planejar suas atividades a fim de sobreviverem ao isolamento social.

Proatividade e agilidade

Lideranças proativas, dinâmicas, ágeis e colaborativas são as mais procuradas pelas organizações. A proatividade é uma característica determinante, visto que aumenta o engajamento da equipe e permite o alcance dos resultados superiores aos dos líderes autocráticos e com mais eficiência.

O conjunto dessas qualidades faz parte da chamada cultura maker. Essa modalidade de cultura empresarial forma colaboradores dispostos a construir e a reformular o que é necessário com suas próprias mãos. A cultura maker, quando é presente no comportamento do líder do futuro, é estimulada entre todos os subordinados. O conceito traz benefícios às empresas, como dinamismo, agilidade, comunicação e redução de custos.

Capacidade de inovação

Outro desafio dos líderes é manter a inovação contínua nas empresas. Por essa razão, o líder do futuro investe na cultura da inovação e da criatividade, descentraliza as decisões e promove a autonomia da equipe.

A liderança deve estar constantemente atenta às tendências com o intuito de preparar o capital humano da empresa. Afinal, adaptar-se ao que o mercado oferece é abrir a sua empresa a novas soluções.

Além disso, os colaboradores precisam se preparar adequadamente para as novidades — implemente-as apenas quando tiver certeza de que haverá adaptação por parte dos profissionais.

Aprendizagem contínua

O líder do futuro deve estar sempre bem informado e, inclusive, conhecer o valor das informações. Hoje em dia, quem tem informação, tem tudo. Além disso, em tempos de mudanças constantes, é necessário se reinventar permanentemente e garantir que o potencial de sua equipe esteja em desenvolvimento.

Dessa forma, o ideal é buscar o aprendizado contínuo e as informações certas para utilizá-las de forma eficaz. Cabe ressaltar que essa habilidade pode ser desenvolvida em treinamentos e cursos de especialização, que oferecem conhecimentos teóricos ajustados à realidade do mercado atual.

Atualização constante

Como dito, o líder do futuro está sempre em busca de aprendizado e evolução constante para se adaptar às tendências da sua área e fazer as mudanças necessárias em sua equipe. Essa é a melhor forma de desenvolver novas habilidades, atualizar-se conforme as inovações do mercado, promover o networking e trocar experiências.

Ao investir em atualização e treinamento, é possível abrir novas oportunidades para a organização, com a adoção de métodos e tecnologias a fim de aperfeiçoar os processos operacionais. Afinal, quando o gestor acompanha as inovações, ele consegue investir em recursos que podem ampliar a performance e a produtividade da equipe.

Resolução de conflitos

A dinâmica dos negócios e a pressão por resultados, inevitavelmente, faz com surjam conflitos no ambiente de trabalho ou outros problemas complexos. Nesse caso, o líder do futuro deve exercer o papel de gerenciador de conflitos.

Cabe a ele mediar os argumentos das partes envolvidas de modo a solucionar o impasse e amenizar o clima do ambiente, possibilitando que os colaboradores continuem desempenhando suas funções.

Para mediar os conflitos com maestria, é fundamental que o líder saiba separar as questões disfuncionais e funcionais, tratando-as de acordo com seus respectivos motivos e grau de intensidade.

Neste contexto, uma das atitudes imprescindíveis do líder do futuro é ser capaz de usar o conhecimento dos integrantes da equipe, valorizando a contribuição de cada um. Para isso, é preciso manter uma comunicação alinhada e um bom clima organizacional, em que todos possam colaborar e se ajudar.

O perfil acima deve caracterizar a atuação do líder do futuro. As habilidades sutis vão além das capacidades técnicas e permitem uma boa gestão de pessoal. As competências de comunicação e o controle emocional das chefias é que vão manter a motivação e a produtividade durante as crises.

Nosso artigo sobre como deve ser o líder do futuro nas empresas foi útil para a gestão da sua empresa? Então, aproveite para compartilhar o conteúdo em suas redes sociais, para que mais pessoas fiquem por dentro do assunto!

newsletter

Novidades de HSMU por e-mail

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.
Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.
Quero indicar um amigo

Entre em contato com a equipe HSM University.