Você sabe o que é um MVP? As startups de sucesso utilizam essa estratégia para validar suas ideias antes de colocá-las no mercado. Isso permite um crescimento consistente, rápido e a um baixo custo.

Não adianta pensar em uma solução inovadora, gastar muito tempo e dinheiro para desenvolver um produto se, no final das contas, o consumidor não enxergar valor naquela solução. Se o produto não for bem-aceito, a empresa terá prejuízos.

Quer entender melhor o que é um MVP e a importância dele para as startups? Continue a leitura e confira!

Afinal, o que é um MVP?

MVP é a sigla para Minimum Viable Product — em português, Produto Minimamente Viável. Na prática, trata-se de uma versão simplificada de um novo produto, serviço ou modelo de negócios que você pretende colocar no mercado. Apesar de apresentar funcionalidades mais básicas, ele já precisa entregar valor ao cliente.

A criação do MVP é um dos pilares da lean startup. O objetivo é testar a ideia com o menor investimento possível a fim de lançar produtos com reais chances de sucesso, de modo a reduzir riscos de desperdícios de tempo e de dinheiro.

Qual é a importância de um MVP para as startups?

Essa é uma simples questão de sobrevivência. Imagine desenvolver um produto, fabricá-lo em grande escala, colocá-lo no mercado e só depois perceber que ele não é bem-aceito pelo público? Prejuízos dessa magnitude podem levar uma empresa à falência.

É por meio do MVP que você vai se certificar de que aquela ideia, de fato, atende à demanda do consumidor. Essa versão de teste é construída com funções mínimas, mas que já cumprem o objetivo central da solução, e é entregue apenas a uma pequena amostragem de clientes para obtenção de feedbacks.

Assim, caso a solução não seja aprovada é possível fazer ajustes na estratégia — e até abandonar o projeto inteiro se for necessário — sem que haja perdas significativas de ordem financeira ou até de reputação.

Quais as vantagens do MVP?

São inúmeras as vantagens do MVP. É por isso que muitas empresas grandes preferem investir em startups e posteriormente aprimorar ideias que se mostraram realmente interessantes e bem-aceitas no mercado, em vez de gastar muito dinheiro criando suas próprias soluções. Veja abaixo alguns desses benefícios e entenda melhor.

Validação de hipóteses

Uma das principais vantagens do MVP é a viabilidade de testar e validar diversas hipóteses no mercado. Afinal, ainda que seja realizada uma vasta pesquisa e coleta de dados, nada substitui um teste prático, quando o cliente tem a possibilidade real de experimentar o produto.

A partir daí, por um custo controlado, o empresário tem a oportunidade de realizar aprimoramentos, adaptações ou até mesmo reinventar todo o projeto, se perceber que ele não funciona na prática, diminuindo os riscos no caso de um lançamento em larga escala.

Análise da concorrência

Desenvolver um MVP e lançá-lo no mercado também é uma boa maneira de analisar seu potencial competitivo em meio à concorrência. A resposta do mercado pode determinar se o produto tem a possibilidade de conquistar um bom posicionamento e se apresenta os diferenciais necessários.

O MVP permite a testagem do produto em um ambiente controlado. Dessa forma você consegue entender como ele se comporta ao lado de seus semelhantes e quais pontos podem ser alterados para que ele conquiste a preferência do seu público em meio aos seus rivais de mercado.

Geração de valor

O MVP vai um pouco além de um protótipo, mas ainda não tem tudo o que se espera no produto final. É como se fosse a versão beta, ou versão de testes. Contudo, ele precisa ter as principais funções para que o teste seja o mais fidedigno possível.

No caso do MVP é essencial que o produto lançado já entregue o máximo de valor, porém com menos profundidade. No caso de um aplicativo, por exemplo, você pode limitar o seu alcance a um bairro e posteriormente expandir para toda a cidade.

Avaliação de escalabilidade do produto

É essencial que o MVP seja escalável. Ou seja, que possa começar em proporções menores e ir crescendo à medida que for dando retorno. O investimento em um serviço de entrega diferenciado para um bairro é muito menor do que para o país inteiro, por exemplo. Porém, o seu MVP deve ter uma base que permita esse crescimento progressivo.

Como criar um MVP?

Antes de qualquer coisa, é bom lembrar que o MVP não serve para dar início às atividades de uma empresa. A verdade é que até chegar ao desenvolvimento dessa solução de teste você já precisará de um planejamento de negócios bem consistente.

Ele testará a viabilidade de uma solução, portanto, precisa representar muito bem o produto final — mesmo que em condições mínimas. Se você desenvolver um protótipo impróprio para comercialização com o pretexto de que ele será aprimorado no futuro, não conseguirá as respostas que precisa.

Além disso, é muito comum que os empreendedores façam esse teste apenas para cumprir o protocolo. No entanto, é essencial avaliar a resposta real do mercado e não se limitar aos resultados que gostaria de ver.

Dito isso, veja algumas dicas para criar um MVP:

  • monte uma equipe multidisciplinar;
  • defina uma proposta de valor — essa é a razão de existir da empresa, que explica qual problema a solução promete resolver;
  • crie personas — personagens semificcionais que representam o seu perfil de cliente ideal;
  • desenvolva o MVP — crie uma solução simplificada apenas com as funções essenciais para cumprir a proposta de valor;
  • estabeleça metas — defina o que o MVP pretende validar e faça um script de como essas hipóteses serão testadas (entrevistas, testes online etc.);
  • defina métricas — sem mensurar os resultados não será possível saber se o MVP atendeu, de fato, às expectativas dos consumidores.

Quais os principais desafios de criar um MVP?

Empreender é sempre um desafio. O primeiro deles é encontrar um nicho pouco explorado e pensar em uma ideia inovadora e com grande potencial. A partir daí é necessário estudar o mercado, estruturar a ideia e ainda encontrar investidores dispostos a apostar na sua proposta. Ou seja, para um MVP ser bem-sucedido você precisa:

  • mostrar valor ao cliente — muitas vezes você só terá uma chance para demonstrar ao cliente o potencial da sua criação;
  • transformar o MVP em algo novo — seu MVP não pode ser mais do mesmo, dessa forma, um grande desafio é transformar o seu produto em algo realmente revolucionário;
  • escrever o MVP seguindo as boas práticas de programação — aposte em softwares para ajudar você.

Ao final, o grande desafio é equilibrar recursos limitados, oscilações do mercado, interesses dos investidores e o valor entregue ao cliente.

Assim, entender o que é um MVP e apostar nessa estratégia para a sua empresa possibilita o desenvolvimento de soluções que, de fato, vão atender às demandas do mercado. Dessa forma, é possível reduzir gastos e riscos, aumentando a lucratividade do negócio.

Gostou do assunto e quer aprender novos termos do mercado para se manter atualizado? Então, siga-nos nas redes sociais e fique por dentro das novidades: estamos no Facebook, no Instagram, no LinkedIn, no Twitter e no YouTube.